Deus, um Delírio

Richard Dawkins

2007

Companhia das Letras

Fernanda Ravagnani

Livros

O Garoto Que Queria Ser Deus
O Brasil e os Brasileiros
O Pastor Rebelde
Memória de Uma Agenda
As Raízes de Deus
Dom Juan Por Acaso

Informações do livro

Comentários de capa:

“Em Deus, um Delírio a debilidade intelectual da crença religiosa é desnudada sem piedade, assim como os crimes cometidos em nome dela”.
The Times

“Este livro é um apelo declarado para que não nos acovardemos mais”.
The Guardian

“Um livro importantíssimo, especialmente nos dias de hoje ... magnífico, lúcido e sagaz, verdadeiramente magistral”.
Ian McEwan

“Um ataque brilhante à onda de superstição que mais uma vez percorre o mundo, pelo grande cientista que, ao longo de sua carreira, tem demonstrado a força da razão sóbria e incisiva para explicar a vida”.
Johaan Brown, Independent


Prefácio (I)

Algumas reações de Richard Dawkins às críticas ao livro:

Críticos: Não se pode criticar a religião sem uma análise detalhada de livros eruditos de teologia.

Dawkins: A enorme maioria dos textos teológicos simplesmente assume que ele [Deus] existe, e parte daí. Para os meus propósitos, preciso levar em conta apenas os teólogos que considerem a sério a possibilidade de que Deus não exista e argumentem por sua existência. (p.12-13)

Críticos: Você sempre ataca o que há de pior na religião e ignora o que há de melhor.

Dawkins: Para a imensa maioria de fiéis no mundo todo, a religião se parece muito com o que se ouve de gente como Pat Robertson, Jerry Falwell ou Ted Haggard, [ou] Osama bin Laden ou o aiatolá Khomeini. (p.14)

Críticos: Sou ateu, mas quero me dissociar de sua linguagem estridente, destemperada e intolerável.

Dawkins: Na verdade, quando se analisa a linguagem de Deus, um Delírio, ela é menos destemperada ou estridente do que a que achamos muito normal – quando ouvimos analistas políticos, ... críticos de teatro, arte ou literatura. Minha linguagem só soa contundente e destemperada por causa da estranha convenção ... de que a fé religiosa é dona de um privilégio único: estar além e acima de qualquer crítica.

Críticos: Você é tão fundamentalista quanto aqueles que critica.

Dawkins: Cristãos fundamentalistas são apaixonadamente contra a evolução, e eu sou apaixonadamente a favor dela. ... quando dois pontos de vista contrários são manifestados com a mesma força, a verdade não está necessariamente no meio. É possível que um dos lados esteja simplesmente errado. .... O fundamentalista ... declara que todas as evidências do universo não o fariam mudar de opinião. O verdadeiro cientista ... sabe exatamente o que é necessário para fazê-lo mudar de opinião: evidências. (p.17-18)

Críticos: Sou ateu, mas as pessoas precisam da religião.

Dawkins: ... entender que “X [Deus] é um consolo” não significa “X é verdade”. (p.18-19) ... o potencial de consolo de uma crença não eleva seu valor de verdade. ... nunca encontrei ninguém que não concorde que, nas cerimônias fúnebres, as partes não religiosas (homenagem, poemas ou músicas favoritas do falecido) são mais tocantes que as orações. (p.19-20)

(520 páginas)

Livros

Carta a Uma Nação Cristã
Deus Não É GRANDE
Tratado de Ateologia
Deus, um Delírio
Por Que Não Sou Cristão
Aprender a Viver
O Espírito do Ateísmo
Por Que as Pessoas Acreditam em Coisas Estranhas
O Príncipe
Assim Falou Zaratustra (Also Sprach Zaratustra)